SOBRE O ACERVO VIRTUAL HUBERTO ROHDEN & PIETRO UBALDI

Para os interessados em Filosofia, Ciência, Religião, Espiritismo e afins, o Acervo Virtual Huberto Rohden & Pietro Ubaldi é um blog sem fins lucrativos que disponibiliza uma excelente coletânea de livros, filmes, palestras em áudios e vídeos para o enriquecimento intelectual e moral dos aprendizes sinceros. Todos disponíveis para downloads gratuitos. Cursos, por exemplo, dos professores Huberto Rohden e Pietro Ubaldi estão transcritos para uma melhor absorção de suas exposições filosóficas pois, para todo estudante de boa vontade, são fontes vivas para o esclarecimento e aprofundamento integral. Oásis seguro para uma compreensão universal e imparcial! Não deixe de conhecer, ler, escutar, curtir, e compartilhar conosco suas observações. Bom estudo!

quinta-feira, 14 de abril de 2016

O PENSAMENTO E A VONTADE DA HISTÓRIA

Comentário(s)

"É um fato, que, nas revoluções achamos muitas vezes na defesa do antigo regime um rei-fantoche. Existe quase que uma proporção entre o poder caudaloso da onda nova que deve, nos planos da História, derrubar, e a fraqueza do organismo que deve ser destruído. Há uma sábia dosagem de forças nos dois impulsos opostos, para que a nova, que deve vencer, tenha sua tarefa facilitada, quando esta faz parte dos planos da história."
Pietro Ubaldi. (Livro: Profecias - Cap. II — O Pensamento e a Vontade da História)

sábado, 12 de março de 2016

A CARTA DO AMOR

Comentário(s)

"Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver caridade, sou como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine.

Mesmo que eu tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência; mesmo que tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade, não sou nada.

Ainda que distribuísse todos os meus bens em sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tiver caridade, de nada valeria!

A caridade é paciente, a caridade é bondosa. Não tem inveja. A caridade não é orgulhosa. Não é arrogante.

Nem escandalosa. Não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda rancor.

Não se alegra com a injustiça, mas se rejubila com a verdade.
Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

A caridade jamais acabará. As profecias desaparecerão, o dom das línguas cessará, o dom da ciência findará.

A nossa ciência é parcial, a nossa profecia é imperfeita.

Quando chegar o que é perfeito, o imperfeito desaparecerá.

Quando eu era criança, falava como criança, pensava como criança, raciocinava como criança. Desde que me tornei homem, eliminei as coisas de criança.

Hoje vemos como por um espelho, confusamente; mas então veremos face a face. Hoje conheço em parte; mas então conhecerei totalmente, como eu sou conhecido.

Por ora subsistem a fé, a esperança e a caridade - as três. Porém, a maior delas é a caridade."

Paulo de Tarso
(Carta aos Coríntios 13:1-13)

quinta-feira, 10 de março de 2016

A NOVA SOCIEDADE HUMANA

Comentário(s)

"Na sociedade futura não haverá mais pobres, porque se impedirá a sua formação, seja com a regulamentação demográfica, seja com o trabalho organizado e obrigatório para todos, seja com as necessárias providências sociais. O desenvolvimento da inteligência levará a compreensão de que é contraproducente o individualismo levado até à inconsciência, ignorando o prejuízo que o egoísmo inflige ao próximo, pela dispersão de energia que custa, fazendo da sociedade um campo de lutas ferozes. Compreender-se-á que o mal, posto em circulação por quem quer que seja, danifica a coletividade de que cada um faz parte, do mesmo modo que esse mal termina com o retorno àquele que o emite. Compreender-se-á: no seio de uma sociedade, é impossível isolar-se; não se pode, sem dano, ser rico entre pobres; alegrar-se junto de quem sofre; a vida é feita de leis, razão porque não se pode fazer o mal sem pagar depois. Sem teóricos idealismos, que só convencem os que gostam de crer neles, mas objetivando um evidente utilitarismo prático, compreender-se-á a conveniência de superar o antigo método desagregador da luta de todos contra todos, a fim de substitui-lo pela colaboração. O problema não é ético, mas de rendimento positivamente calculável. Este será o novo Evangelho, adaptado às novas condições de vida produzidas pela civilização, convincente, porque racionalmente utilitário. Sem heróicos altruísmos e compensações ultra terrenas, compreender-se-á que o dano do vizinho não é vantagem para mim, porque redundará no meu próprio dano, não convindo, pois, ocasioná-lo".
(Pietro Ubaldi - A Técnica Funcional da Lei de Deus - Cap.3)

sábado, 20 de fevereiro de 2016

A TÉCNICA DA EVOLUÇÃO

Comentário(s)

O panorama do ser se transforma à medida que sobe para planos de vida mais adiantados.
Eis os vários graus de amadurecimento evolutivo que se encontram em nosso mundo:
1.º grau. O princípio que dirige a vida do indivíduo é muito simples: ele deseja uma coisa, estende a mão e se apodera dela, assim satisfazendo o seu desejo. Forma mental elementar e respectiva ética de obediência mecânica aos impulsos primitivos.
2.º grau. O indivíduo encontra dificuldades e resistências que dificultam a satisfação do seu desejo. Desponta deste modo o princípio da luta necessária para arrancar das mãos dos outros o que o ser quer possuir. Então ele se movimenta, usa o método da força e, se vence, conquista a sua presa, atingindo deste modo o seu objetivo e satisfazendo o seu desejo. Neste nível a presença de leis civis e religiosas representa para o indivíduo somente um obstáculo a superar.
3.º grau - Este é o estado em que o indivíduo obedece às leis, mas só na forma exterior e porque constrangido à força. Julga-as, porém, sempre como um obstáculo a superar, um inimigo a vencer, porque lhe impede a satisfação de realizar o seu desejo, atingindo, o seu objetivo. Então, constrangido pela força que a organização social possui, contra a qual ele não tem poder bastante para se rebelar, o indivíduo emprega outro meio, um substituto dela, a astúcia. Prevalece, assim, num ambiente pacífico na superfície e na aparência, uma luta subterrânea, invisível por fora, terrível e desapiedada, mas bem escondida sob um manto de hipocrisia. Mudou a forma da luta, mas esta ficou na substância.
Este princípio e tal método de vida permaneceu, mas se tornou mais sutil e aperfeiçoado. Eis a forma mental e respectiva ética do cidadão deste plano, conforme sua consciência. Então o trabalho do indivíduo está sempre em se evadir das leis, que ele continua julgando um obstáculo a superar. O objetivo fica sempre o mesmo, o de satisfazer os seus desejos, mas praticando a arte de escapar às sanções penais das leis. A finalidade não é de colaborar, obedecendo na ordem, mas de se rebelar para o triunfo do próprio eu. A diferença com o caso precedente está no fato de que agora a violência não é mais física, mas econômica, nervosa, psicológica, e a desobediência está disfarçada sob as aparências da obediência.
4.º grau. Se o 1.º grau é o do animal; o 2.º é o da fera, do selvagem, do delinquente, ou primitivo mais involuído; se o 3.º é o do homem atual ou involuído mais adiantado; o 4.º grau é o do evoluído que abandonou todos esses métodos de luta, porque chegou a entender a Lei de Deus e a esta espontaneamente obedece. Nisto ele atinge o seu objetivo e satisfaz o seu desejo de bem. Eis a forma mental e respectiva ética do cidadão desse plano, conforme sua consciência.
O mencionado princípio da luta e o respectivo método de vida ficaram definitivamente abandonados nos inferiores níveis biológicos, dos quais o evoluído não faz mais parte. Eis os biótipos que encontramos em nosso mundo atual, cada um com a sua forma mental e ética respectiva. 

Inferno e paraíso não são fantasia, mas realidade. O primeiro é o AS, o segundo é o S. A vida evolui do primeiro para o segundo.

O paraíso das religiões representa uma realidade biológica futura, uma posição positiva de existência, colocada como último objetivo no fim do caminho evolutivo.

A ética representa o guia que nos dirige ao longo desse caminho para nos levar a esse ponto final. Por isso é de nosso interesse fundamental conhecê-la, para praticá-la, porque se trata de nossa felicidade.


(Pietro Ubaldi - Livro: Deus e Universo)

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

O PROBLEMA DO DESTINO

Comentário(s)

É difícil a arte de saber viver. A vida é um vaso que podemos encher com o que quisermos. Mas, a verdade é que temos querido enchê-lo de erros. Então, que podemos receber senão sofrimentos? Quando era moço, li livros sobre a arte de alcançar sucesso na vida. E hoje ainda se encontram livros sobre este assunto. Mas, trata-se duma ciência de superfície, que se baseia na sugestão, na arte exterior de apresentar-se, de falar e convencer o próximo. Ora, isso só pode levar a um êxito parcial, momentâneo, superficial. 

O verdadeiro êxito na vida consiste num problema de construção de destinos, um problema complexo de longo alcance, que só se pode resolver conhecendo o funcionamento das leis profundas que regem a vida, e a posição de cada um dentro dessas leis, ou seja, o plano duma vida enquadrada no plano geral do universo, em função de Deus. Como se pode chegar a uma orientação completa do caso particular, se não se conhece a Lei geral? A maioria não é dona dos acontecimentos da sua vida, mas é serva dirigida por eles. 

A vida é um jogo vasto e complexo. Fala-se de destino e da sua fatalidade. Mas, os construtores desse destino somos nós mesmos e depois ficamos sujeitos à sua fatalidade. Da mesma forma que o passado representa a semeadura do presente, o presente representa a semeadura dó futuro. A semeadura é livre, mas a colheita obrigatória. Assim, somos ao mesmo tempo livres e dependentes. Temos o poder de nos arruinar ou de nos salvar, como quisermos, mas não podemos alterar a Lei, e a nossa ruína ou salvação fica fatalmente sujeita às normas da Lei de Deus. Ela regula os movimentos de tudo que existe e do homem também. Conhecê-la quer dizer conhecer as regras do jogo da vida, isto é, a ciência da própria conduta, a arte de evitar os movimentos errados e fazer os certos, para fugir do dano próprio e atingir o melhor bem-estar possível. 

A coisa mais importante na vida, a base de tudo, é a orientação. E a maioria vive correndo atrás das ilusões do momento, desorientada e descontrolada. Seguir a Lei quer dizer seguir a vontade de Deus. Esta é uma bem estranha posição para o mundo, que ainda obedece à lei animal do mais forte. Seguir a vontade de Deus não quer dizer perder a própria e tomar-se autômato. Essa obediência é um estado de abandono em Deus, em absoluta confiança, como o filho nos braços da mãe. Mas, esse abandono é ativo e dinâmico, como o de quem vai atrás de um guia sábio e bom que o defende e lhe garante o êxito, desde que o seguidor queira obedecer com boa vontade, sinceridade e fidelidade.  

Este é um problema absolutamente individual, de escolha e resultados individuais. Se soubermos aprender esta arte de viver em harmonia com Deus, a nossa existência se deslocará do plano da injustiça e da força em que vive o homem, ao plano da justiça e da bondade em que tudo funciona com princípios diferentes. Surge então uma coisa que o mundo não acredita seja possível: para chegar a possuir o que precisamos e para alcançar sucesso não é necessário força ou astúcia. Basta tê-lo merecido, como a justiça o exige.  

(Pietro Ubaldi - Livro: A Lei de Deus)