ACERVO VIRTUAL HUBERTO ROHDEN & PIETRO UBALDI

Para os interessados em Filosofia, Ciência, Religião, Espiritismo e afins, o Acervo Virtual Huberto Rohden & Pietro Ubaldi é um blog sem fins lucrativos que disponibiliza uma excelente coletânea de livros, filmes, palestras em áudios e vídeos para o enriquecimento intelectual e moral dos aprendizes sinceros. Todos disponíveis para downloads gratuitos. Cursos, por exemplo, dos professores Huberto Rohden e Pietro Ubaldi estão transcritos para uma melhor absorção de suas exposições filosóficas pois, para todo estudante de boa vontade, são fontes vivas para o esclarecimento e aprofundamento integral. Oásis seguro para uma compreensão universal e imparcial! Não deixe de conhecer, ler, escutar, curtir, e compartilhar conosco suas observações. Bom Estudo!


Carregando...

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Qualidades adquiridas

Comentário(s)




O teatro da vida

Comentário(s)




sexta-feira, 17 de novembro de 2017

O barulho e o silêncio

Comentário(s)




quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Conversão pelo Ser

Comentário(s)




terça-feira, 7 de novembro de 2017

Áudios organizados por álbuns e acessíveis pelo aplicicativo VK

Comentário(s)



Caros amigos, simpatizantes, e estudiosos da obra de Huberto Rohden e Pietro Ubaldi. Aproveitando o clima natalino que se aproxima, aconselho que baixem o aplicativo VK para o smartphone, porque agora, dá para acessar todas as aulas pelos álbuns. Terminei de organizar tudo ontem (06/11/2017), e está funcionando perfeitamente. 

Aqui os links para o aplicativo conforme os "celulares":

iPhone 

Android

Comunidade Huberto Rohden | VK

Comunidade Pietro Hubaldi | VK

sábado, 4 de novembro de 2017

O Mistério do Sagrado AUM, por Huberto Rohden

Comentário(s)



Quando o homem experimenta a imanência de Brahman em todas as suas obras como sendo a essência de tudo, e compreende, ao mesmo tempo, que Brahman está além de tudo — então está em AUM, identificado com o infinito UNO em si, o infinito VERSO em todas as coisas. AUM é o sujeito em todos os objetos, e todos os objetos no sujeito — o UNIVERSO. E, afim de criar ambiente propício a esta conscientização, a pessoa invoca, vagarosa e intensamente, o sagrado trigrama AUM:

"A", som aberto, representa o início, a 1ª pessoa Brahma; "U", semi-aberto, representa a manutenção ou Vishnu; "M", som fechado, representa a consumação ou Shiva. Depois de expirar a última letra "M", numa entonação profunda e prolongada, sobrevém a vibração inaudível, a mais poderosa de todas, a pulsação do Silêncio Absoluto, que é a Pura Consciência. O que se segue após a última vibração audível de "M" é denominado Nirvana, o Silêncio Dinâmico, o Nada Criador, a Luminosa Escuridão, etc, a Tese anterior a todas as antíteses e sínteses, simbolizada pela serpente circular, cuja cauda termina na boca. O AUM é o 'Amém' do Evangelho: "A" significa a vigília, o estado de estar desperto; "U" significa o estado de sonhos e "M" simboliza o estado de sono sem sonhos. 

Na vigília, o homem é ego-consciente; no sonho, o homem está no subconsciente, e em sono profundo, está totalmente inconsciente. Todos estes estados, porém, são da consciência individual em diversos graus. Para além de todos os estados individuais - vigília, sonho e sono profundo — está o oceano imenso da oniconsciência universal, que se manifesta quando expiram os estados pessoais. Os estado normais de vigília, de sonhos e de sono profundo podem nos parecer reais, enquanto não se alcança o quarto estado, quando então a validade dos primeiros desaparece, ao desaguar no oceano da Consciência Absoluta, ou em Nirvana. 

Neste estado nirvânico, além do "M" audível, a Divindade é percebida como imanente e transcendente no mais alto grau; cessa toda dualidade e reina soberana a grande unipolaridade monista. 

Brahman é "A" no estado de vigília que experimentamos no mundo da matéria; 
Brahman é "U" no estado de sonhos vivido no mundo astral da mente; 
Brahman é "M" no sono profundo que se dorme no mundo das forças espirituais. 

Livro: "O Espírito da Filosofia Oriental", coleção Huberto Rohden, São Paulo.

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Palestras do professor Pietro Ubaldi em áudio

Comentário(s)



"O nosso trabalho nestas palestras será o de esmiuçar as teorias gerais da grande orientação até suas conseqüências concretas, que nos tocam de perto, para aprender a viver conscientemente, conhecendo o valor dos nossos atos, desde suas origens até seus últimos efeitos. Esta é a ciência da vida, que nos explica a significação dos movimentos da nossa alma, como dos acontecimentos que nos rodeiam." (Pietro Ubaldi, Cap. II))

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

A Arte

Comentário(s)


(Trecho extraído do capítulo A Arte, do livro: A Grande Síntese)

Vossa arte  futura  será  sadia,  educadora,  descida  de  Deus  para elevar  a  Deus.   Se assim não  for,  será  veneno.  A arte  que permanece  na  Terra  não  é  verdadeira arte,  tem de elevar-se ao  céu,  ser  instrumento de ascensão  espiritual. Deveis beber nas fontes da  verdade e eu  vos  escancarei  suas  portas.  A arte  tem  de  iluminar-se com a  luz  do  espírito  e eu  o  fiz  reviver  entre  vós.  Dei-vos, tanto  no  campo  científico  e  social,  quanto  no  campo  artístico,  uma  idéia  imensa  para exprimirdes:  a  harmonia  de  todos  os fenômenos,  da  ascensão de todas as  criaturas,  e  a de vosso  amadurecimento biológico. A  arte apodera-se da ciência. É verdade que não  soubesteis  dar  a  esta  um  conteúdo  espiritual;  dai-lhe,  contudo,  uma  fé e  ela  se  tornará arte.  Que  mundo  grande,  novo, inexplorado,  que  sinfonia  de  concepções  cósmicas  para exprimir! O futuro da arte está na expressão do imponderável. Que riqueza de  inspiração pode  descer  sobre a  Terra,  vinda  do  alto,  por intermédio  do artista  sensitivo! Que  oásis de paz, para refúgio da alma, nessas visões do infinito!

A verdade  universal  desta  síntese  pode exprimir-se em todas  as  formas  do  pensamento:  matemática,  científica,  filosófica, social  e  também artística.  Esta  obra  pode  também tornar-se  uma  grande  tragédia,  em que  palpita  toda  a dor e explode  a  paixão das ascensões  humanas.  Que  drama  maior  que  o  esforço  da  superação biológica,  da  luta  do  espírito para  sua evolução,  de  suas  quedas e  de  suas  ascensões,  da  felicidade e  da  dor,  de  um destino  que  progride através  da cadeia de renascimentos,  de  uma  lei divina  que tudo  vincula à  sua  ordem!  Esta  irmanação  de  fenômenos,  de  seres,  esta  unificação  de  meios  de expressão  diante  da  idéia  única, este  monismo  científico,  filosófico,  social,  basta  para  dar  alma a  uma  nova  arte,  como  a  uma ciência,  a  uma  filosofia,  a  uma sociologia nova. 

Vossos  palcos  ignoram tragédias  tão  amplas,  porque estes  conceitos  exatos  faltavam antes  ao mundo.  Era  vaga a  intuição dos  grandes  problemas,  incerta a  reconstrução  do  destino  humano.  Há  sempre  uma zona  de  nebulosidade,  em  que  se aninha a dúvida  e  o mistério. Está na hora de ultrapassar  o  ciclo restrito  das baixas paixões de fundo animal. O teatro não deve ser palco de involução,  explorando  as  multidões,  mas  de evolução,  educando-as.  Então,  ele  não pode ser problema econômico, mas  função do Estado.  A arte  deve  superar  os  loucos  futurismos,  tomar  como  fundo o  infinito  e a eternidade,  por  ator  o  espírito  que,  numa  vida sem  limites,  debate-se entre  luz e  trevas  e conquista  sua  libertação.  O  céu  e a  Terra  ressoam  com  a  tempestade  imensa  que as forças  do mal  desencadearam.  Apresentai  o  drama apocalíptico  sem símbolos,  em sua  nua  potência dinâmica de conflito de forças, em  qualquer  das  formas  de  artes  em  que  o  queirais  exprimir,  suspenso  nas  dimensões  do  tempo,  entre a evolução bíblica e  o idealismo científico.

Esta a  grande  arte  futura.  É mister  que  nasça  o gênio  que a  sinta  e  a  manifeste;  que a  sinta acima  da  realidade sensória e nela a encerre e exprima.  Chegado  ao  ápice  dos  valores  espirituais,  ele combate e conclui o drama da unificação e  da  libertação.  É necessário  que  uma alma  superior  viva  o  fenômeno  e,  em  seu  tormento,  liquide  o passado,  lançando  os  espíritos  num vórtice  de paixões  mais  altas  e  dinâmicas.  É necessário  um ser  que,  num martírio  de  fé, macerando-se e queimando-se por sua arte, dela faça missão  e a ela  se  dê  todo.  A  arte  será então  o  altar  das  ascensões  humanas,  onde  o  espírito  se  oferece em  holocausto  de  dor  e paixão  em sua elevação para  Deus;  será a  oração  que  une a criatura ao Criador,  a  síntese  de  todas  as  aspirações  da alma,  de  todas as esperanças e ideais humanos.

"Sua Voz"

O belo é universal

Comentário(s)




O gênio e o talentoso

Comentário(s)






Copyright © Acervo Virtual Huberto Rohden & Pietro Ubaldi ®
Design by Eronildo Aguiar | Tecnologia do Blogger
    Twitter Facebook VK Google + fotos google YouTube flickr rss