ACERVO VIRTUAL HUBERTO ROHDEN & PIETRO UBALDI

Para os interessados em Filosofia, Ciência, Religião, Espiritismo e afins, o Acervo Virtual Huberto Rohden & Pietro Ubaldi é um blog sem fins lucrativos que disponibiliza uma excelente coletânea de livros, filmes, palestras em áudios e vídeos para o enriquecimento intelectual e moral dos aprendizes sinceros. Todos disponíveis para downloads gratuitos. Cursos, por exemplo, dos professores Huberto Rohden e Pietro Ubaldi estão transcritos para uma melhor absorção de suas exposições filosóficas pois, para todo estudante de boa vontade, são fontes vivas para o esclarecimento e aprofundamento integral. Oásis seguro para uma compreensão universal e imparcial! Não deixe de conhecer, ler, escutar, curtir, e compartilhar conosco suas observações. Bom Estudo!


Carregando...

sábado, 30 de julho de 2016

Verdades fundamentais

Comentário(s)

A quintessência, o Alfa e o Ômega de toda a filosofia e religião resume-se no seguinte:

—  que existe uma Realidade absoluta, infinita, eterna, consciente,
—  que todas as coisas do universo, percebidas como várias e distintas, não são senão manifestações múltiplas dessa única Realidade...

A pluralidade dos fenômenos é meramente aparente – a unidade do Noúmeno é real.

A Realidade não teve princípio, nem terá fim – ao passo que seus fenômenos começam e acabam, nascem e morrem. Os fenômenos transitórios são causados – a eterna Realidade é incausada, mas causadora de todos os
efeitos.

A perfeição do homem consiste na faculdade de perceber a unidade da Causa absoluta através da pluralidade dos efeitos relativos. Os seres irracionais, dotados de sentidos mas destituídos de razão, não percebem senão a
pluralidade dos fenômenos, ignorando a unidade do Noúmeno. Quanto mais próximo está um homem da animalidade do irracional, tanto mais percebe a pluralidade dos fenômenos e tanto menos conhece a unidade do Noúmeno – e vice-versa.

Perceber a pluralidade sem a unidade, é analfabetismo filosófico; perceber a unidade sem a pluralidade, é unilateralismo de principiante; perceber a unidade na pluralidade, é que é o mais alto grau de perfeição. O primeiro estado é caos, o segundo é monotonia, o terceiro é harmonia.

(Huberto Rohden -  Livro: Profanos e Iniciados)

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Perceber o invisível no visível

Comentário(s)

A mais candente necessidade para o mundo de hoje são homens que, no meio deste mundo visível, saibam andar com certeza e segurança na Realidade invisível, homens que vivam no mundo, mas cujo reino não seja do mundo. O profano ignora a Realidade, e por isto não pode ajudar os homens. O asceta deserta do mundo para viver a sós com seu Deus, e, assim, não tem contato com a humanidade desorientada. Só o homem espiritual, o realista integral, é que pode redimir a humanidade, porque só ele possui a necessária verticalidade mística e a indispensável horizontalidade ética, para reconduzir ao Deus do mundo os homens que vivem no mundo de Deus ignorando a Deus.

profano é um cego que corre vigorosamente, mas sem saber para onde – magni passus extra viam, grandes passos... fora do caminho (Sto. Agostinho).

asceta é um vidente que, paralisado de medo, prefere recolher-se a uma caverna, longe das maldades do mundo.

homem espiritual é um vidente que anda seguro e firme nos caminhos do mundo profano, sem se profanar, mas irradiando para seus semelhantes a luz 
da sua vidência e a força da sua santidade.

(Huberto Rohden -  Livro: Profanos e Iniciados)

terça-feira, 26 de julho de 2016

"A ignorância gera o erro, que gera a dor, que destrói o erro, que destrói a ignorância."

Comentário(s)



"Eis então como a escola funciona. Quando o caminho não está certo, logo aparece a dor que avisa. Quem bateu com a cabeça volta para trás e outra vez procura não repetir o erro que acarretou sofrimento. Não é necessário muita inteligência para isso. A dor, ensinando a evitar o erro, elimina-o, destruindo a ignorância, atingindo assim, o seu objetivo: o de fazer evoluir os involuídos. Podemos ver agora o ciclo de ida e volta desse processo: a ignorância gera o erro, que gera a dor, que destrói o erro, que destrói a ignorância. E destruir a ignorância significa subir os primeiros degraus da inteligência e encaminhar-se para a compreensão da Lei e para a espiritualidade. Esse é o conteúdo do fenômeno pelo qual o triângulo vermelho da positividade vai pouco a pouco, e progressivamente, destruindo o triângulo verde da negatividade. Com estes exemplos práticos podemos melhor entender a teoria."

(Livro: Queda e Salvação, pp 261, Cap. 12 - 3ª Edição.)

terça-feira, 19 de julho de 2016

Situações e tranformações

Comentário(s)

"Quando a situação for boa, desfrute-a. Quando a situação for ruim, transforme-a. Quando a situação não puder ser transformada, transforme-se." 

Viktor Frankl

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Música divina. Para ouvir e sentir

Comentário(s)

Very beautiful pan flute music - Petruta Küpper - Einsamer Hirte from Acervo Virtual on Vimeo.

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Religião científica

Comentário(s)

"Neste futuro próximo, a ciência se prepara para demonstrar positivamente que o homem é também espírito e que, como tal, ele sobrevive à morte, voltando depois a ter experiências no plano de nossa vida física, prosseguindo cada vez mais em ascensão, até percorrer todo o caminho evolutivo, que se realiza com o retorno a Deus. Por este caminho se chegará a uma religião científica, que eliminará tanto o materialismo ateu como as religiões fideísticas. A ciência dominará positivamente o terreno que hoje ainda se encontra nebuloso, nas mãos das religiões. Em vez de lutarem para eliminar-se, a ciência e fé se completarão inteligentemente, de forma recíproca. Teremos então uma religião científica e uma ciência religiosa. A natureza universal da ciência positiva eliminará o espírito exclusivista que separa as religiões atuais, para fazer delas, em vez de diversos aspectos de verdades em luta, uma só verdade universal."

(Um Destino Seguindo Cristo - Pietro Ubaldi)

Ciência espiritualista

Comentário(s)

"Veremos que justiça e senso de retidão emanam das leis da vida, a ponto de se reconhecer nelas qualidades de alta moralidade. Como é possível isso no plano biológico? O que significa isso e como se explica? Moralidade significa um estado de ordem no nível espiritual. Mas este estado de ordem é o mesmo que a ciência encontra no plano da matéria e da energia, tanto que o codificou, expressando-o com leis exatas, positivamente controladas. Então essa moralidade biológica que encontramos nas leis da vida não é senão uma expressão, relativa a esse nível, da ordem universal da Lei. Trata-se da mesma disciplina vista pela ciência no campo físico e dinâmico, a qual se verifica também no campo, ainda mais avançado, da conduta do homem e da moral que a dirige. Trata-se do mesmo princípio de ordem inserido na Lei e atuante em níveis evolutivos diversos. É assim que se explica como a conduta humana está sujeita a normas éticas."

(Pensamentos - Pietro Ubaldi)

terça-feira, 5 de julho de 2016

A mais alta aspiração

Comentário(s)



"Não reduzais a Divindade a formas antropomórficas, não a restrinjais em conceitos feitos à vossa imagem e semelhança. Não pronuncieis Seu santo nome em vão. Seja Deus vossa mais alta aspiração, tal como o é de toda a criação. Não vos dividais entre ciência e fé, nas diversas religiões, cujo único intuito é encontrá-Lo. Ele está, acima de tudo, dentro de vós. No profundo dos caminhos do coração como nos do intelecto, Deus sempre vos espera, para retribuir o amplexo que vós, mesmo sendo incrédulos, em vossa agitação confusa e convulsiva, irresistivelmente lançais a Ele, através do maior instinto da vida." 

Por Pietro Ubaldi, em A Grande Síntese.

VK. Uma rede social a frente de seu tempo

Comentário(s)

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Irritação e compreensão

Comentário(s)


“Tudo que nos irrita nos outros pode levar-nos a uma melhor compreensão de nós mesmos”

(C.G. Jung)


domingo, 3 de julho de 2016

Valores invertidos

Comentário(s)




(...) o Anti-Sistema nos mostra o Sistema. Podemos ver o segundo espelhado no primeiro, que é o nosso mundo, às avessas, da mesma forma como se vê um edifício espelhado num lago. Na imagem refletida, os primeiros planos aparecem como últimos e vice-versa. Em nosso mundo, os valores mais apreciados são os menos valiosos, os fictícios da matéria, e não os reais e eternos do espírito; quem é premiado na luta pela vida é o mais forte, que vence submetendo o próximo, e não o mais honesto, que trabalha a favor do próximo. Assim, os valores do Sistema aparecem na Terra, mas frequentemente invertidos, na forma de ficção, para enganar melhor; exalta-se a bondade, mas de fato, os bons são considerados como simplórios a serem explorados; faz-se muita questão de todas as virtudes, mas para os outros; defende-se o amor ao bem reparando os efeitos e o mal, mas no próximo, porque custa muito menos corrigir os outros do que a si mesmo. Louva-se a honestidade, mas na verdade, a sociedade castiga severamente os honestos. O móvel de toda essa humanidade é o egoísmo separatista, principal qualidade do Anti-Sistema, que nos indica a oposta, o altruísmo unificador, qualidade principal do Sistema.

Pietro Ubaldi - Livro: O Sistema, cap 15, pp 189 ed. de 2014

Artigo relacionado:
Das origens primeiras

Roupa suja

Comentário(s)





Terminara, finalmente, o insigne poeta o seu árduo trabalho: grandioso poema sobre as maravilhas de Deus na ordem do cosmos.

E agora, numa roda de amigos e admiradores, declamava o mais belo capítulo da obra-prima do seu engenho. 

Foi um assombro!...


De tamanha beleza eram as idéias, tão profundos os conceitos, tão cintilante as frases, tão suaves as cadências dos períodos, que os ouvintes se quedaram como que extáticos de enlevo...



E quando o poeta, no auge do entusiasmo, perorava a mais grandiosa página do estupendo poema – ouviu-se bater à porta da sala...



Mais se avolumou a voz do inspirado bardo, mais vibrante se tornou o seu estro, para abafar o ruído do inoportuno visitante.


Persistem, porém, na porta, os golpes indiscretos.

Interrompe então o cantor das grandezas de Deus a faiscante cadeia de idéias e, contrariado, com um arranco violento, abre a porta.

“Por obséquio, senhor doutor, a sua roupa suja” – diz uma vozinha tímida, coando dos lábios pálidos de uma menina magríssima.

É a filha da pobre lavadeira.

“Agora não posso, menina! Venha amanhã!...” 

“Mas...a mamãe fica sem serviço...e sem pão...Somos tão pobres...Por favor, senhor doutor, a sua roupa suja...”

“Não posso, já disse!”

Com estrondo infernal se fecha a porta na cara da menina pálida.

E, tornando a subir ao estrado, retoma o trovador o fio do poema.

Por entre tempestades de aplausos termina a declamação da grande apoteose que elaborou pela maior glória de Deus.

Felicitações, abraços, sorrisos, elogios, luminosas perspectivas...

Altas horas da noite...

Surge do seio das trevas o rosto pálido duma menina paupérrima...

Corre pelo quarto olhares sonâmbulos...Apanha da mesa os originais do poema – folha por folha, e rasga-as em mil pedaços...

E jogando-as ao cesto de papéis, murmura: “Roupa suja”. E desaparece...

O poeta acorda...Os originais lá estão, intactos...

E põe-se a pensar , a pensar, a pensar....

É verdade que escrevi este poema pela maior glória de Deus?...

Se é verdade, porque não cantei, ontem à noite, o mais belo de todos os poemas do mundo – o poema da caridade?...

Por que não entreguei à pobrezinha a minha roupa suja?...

Por que preferi à caridade a minha vaidade?...

Levantou-se e resolveu, logo de manhã, entregar à filha da lavadeira a roupa suja que ela pedira – e lavou com as lágrimas do arrependimento a “roupa suja” que tinha dentro da alma...

E o seu coração cantou em silêncio o mais lindo poema de humanidade...

O poema divino do Nazareno...


Huberto Rohden

sábado, 2 de julho de 2016

O Despertar da consciência

Comentário(s)



"Não há despertar da consciência sem sofrimento. 
As pessoas farão de tudo, não importa quão absurdo seja, para não encarar a própria alma. Ninguém se ilumina apenas fantasiando imagens de luz, mas sim, tomando consciência de sua própria sombra".


Carl Gustav Jung

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Como receber bondade, se semeamos veneno?

Comentário(s)

O egocentrismo faz-nos acreditar no absurdo de que vivemos divididos, quando vivemos todos juntos; que o dano dos outros possa ficar isolado do nosso, quando na vida nada há que possa existir separado. Assim, o sofrimento vai-se espalhando, atingindo todos. Para sofrer menos é necessário ser melhor e menos egoísta.

Pietro Ubaldi - Livro: Princípio de uma nova ética - Cap. 13, Conclusões: Amor e convivência social.

Mundos Internos Mundos Externos [Documentário completo]

Comentário(s)

Documentário faz viagem pelo Universo com Bóson, Tesla, Vedas e Buda [FILME].
Mundos Internos Mundos Externos COMPLETO HD Brasil from Acervo Virtual on Vimeo.

Fratello Sole, Sorella Luna

Comentário(s)



Copyright © Acervo Virtual Huberto Rohden & Pietro Ubaldi ®
Design by Eronildo Aguiar | Tecnologia do Blogger
    Twitter Facebook VK Google + fotos google YouTube flickr rss