SOBRE O ACERVO VIRTUAL HUBERTO ROHDEN & PIETRO UBALDI

Para os interessados em Filosofia, Ciência, Religião, Espiritismo e afins, o Acervo Virtual Huberto Rohden & Pietro Ubaldi é um blog sem fins lucrativos que disponibiliza uma excelente coletânea de livros, filmes, palestras em áudios e vídeos para o enriquecimento intelectual e moral dos aprendizes sinceros. Todos disponíveis para downloads gratuitos. Cursos, por exemplo, dos professores Huberto Rohden e Pietro Ubaldi estão transcritos para uma melhor absorção de suas exposições filosóficas pois, para todo estudante de boa vontade, são fontes vivas para o esclarecimento e aprofundamento integral. Oásis seguro para uma compreensão universal e imparcial! Não deixe de conhecer, ler, escutar, curtir, e compartilhar conosco suas observações. Bom estudo!

terça-feira, 11 de março de 2014

O CREDO DA CIÊNCIA

Comentário(s)

Meu caro amigo. Recebi tuas felicitações - muito obrigado.

Atingi o "vértice da pirâmide" – dizes.
Enchi de mil conhecimentos o espírito - é verdade.
Cinge-me a fronte o laurel de doutor - sou acadêmico.
Entretanto - não me iludo...

Quase todo o humano saber - é crer...
Nossa ciência - é fé.
Creio nos testemunhos dos historiadores - porque não presenciei o que referem.
Creio na palavra dos químicos e físicos - porque admito que não se tenham enganado nem me queiram enganar.

Creio na autoridade dos matemáticos e astrônomos - porque não sei medir uma só das distâncias e trajetórias siderais.
Tenho de crer em quase todas as teses e hipóteses da ciência - porque ultrapassam os horizontes da minha capacidade de compreensão.
Creio até nas coisas mais cotidianas - na matéria e na força que me circundam...
Creio em moléculas e átomos, em elétrons e prótons - que nunca vi...

Creio nas emanações do rádium e nas partículas do hélium - enigmas ultramicroscópicos.
Creio no magnetismo e na eletricidade - esses mistérios de cada dia.
Creio na gravitação dos corpos sidéreos - cuja natureza ignoro.
Creio no princípio vital da planta e do animal - que ninguém sabe definir.
Creio na própria alma - esse mistério dentro do Eu.

Não te admires, meu amigo, de que eu, formado em ciências naturais, creia piamente em tudo isto...

Admira-te antes de que haja quem afirme só admitir o que compreende - depois de tantos atos de fé quotidiana.

O que me espanta é que homens que vivem de atos de crença descreiam de Deus - "por motivos científicos".

Homem! tu, que não compreendes o artefato - pretendes compreender o Artífice?

Que Deus seria esse que em tua inteligência coubesse?

Um mar que coubesse numa concha de molusco - ainda seria mar?

Um universo encerrado num dedal - que nome mereceria?

O Infinito circunscrito pelo finito - seria Infinito?

Convence-te, ó homem, desta verdade: só há duas categorias de seres que estão dispensados de crer: - os da meia-noite - e os do meio-dia...

As trevas noturnas do irracional - e a luz meridiana da Divindade...

O insciente - e o onisciente...

Aquele por incapacidade absoluta - este por absoluta perfeição...

O que oscila entre a treva total do insciente e a luz integral do onisciente - deve crer...

Deve crer, porque a fé se move nesse mundo crepuscular, equidistante do vácuo e da plenitude, da meia-noite e do meio-dia...


Huberto Rohden, do Livro: De Alma Para Alma